Click Rádios Sua radio Favorita a um click

Car-puccino: um Volkswagen Scirocco movido a café

Tecnologia Publicado em 19 de Fevereiro de 2013
Volkswagen Scirocco movido a café

Volkswagen Scirocco movido a café

Se com a fé movemos montanhas, bem, café pode nos mover carros. Trocadilho bem infame, eu assumo, mas foi uma forma coerente de chamar atenção para este texto. Já li artigos falando de carros movidos a algas marinhas, chocolate e óleo de cozinha exalando cheiro de batata frita, mas para mim este carro movido a grãos de café é inédito.

O veículo foi apresentado por um programa de televisão britânico (Goes Bang Theory) e como não poderia deixar de ser, chamou muita atenção. Trata-se de uma propulsão garantida por um gerador de gás (toda matéria orgânica pode servir como matéria prima nesta “invenção”) que desprenda carbono e hidrogênio em sua reação – trata-se de uma modernização do antigo gasógeno. Mas é muito ineficiente.

Este experimento foi validado fazendo o veículo em questão percorrer os 338 km que separam Manchester de Londres, consumindo para isso cerca de 70 kg de café. Embora o peojeto seja genioso, não é nem um pouco prático nem eficiente (consome quase 5 kg de combustível por quilômetro rodado se desloca quase 5 km com 1 kg de combustível).

Inicialmente, esquenta-se os grãos de café (que têm que estar completamente secos) até uma temperatura em torno de 700ºC para que liberem hidrogênio (H2) e monóxido de carbono (CO). O vapor superaquecido se resfria no intercooler localizado no teto e passam para um cilindro no porta-malas que elimina qualquer substância sólida, armazenando apenas gás.

Pelo tudo que passa na lateral do teto, na parte superior da porta do motorista, é conduzido o gás purificado trazido do cilindro que falamos, que ao ser levado para a grade frontal do veículo, é injetado no motor conjuntamente com o ar atmosférico. São necessários nada menos que 4,8 km/kg (alco como tomar 1160 cafés expresso enquanto se percorre 100 km – um completo viciado em cafeína).

O veículo é capaz de chegar à velocidade máxima de 96 km/h, graças ao fraco rendimento energético oferecido pelo gás de café. Bem, acho que a maior piada está no fato de que a Shell é uma das patrocinadoras deste projeto.

Fonte.: http://www.motorpasion.com.br

Comentar

comments powered by Disqus
Uma Empresa do Grupo Feyth Tecnologia
Design Fábio Iassia
Desenvolvimento DB Sistemas